jusbrasil.com.br
20 de Junho de 2021

Democracia sem direitos ou direitos sem democracia?

O populismo volta a se instaurar no Brasil?

Bárbara Dias do Carmo, Bacharel em Direito
há 2 anos

Muitos países da América do Sul estão diante de grandes protestos, algo já chamado de CRISE NA AMÉRICA DO SUL. Países com o Chile, Argentina e Equador possuem outro ponto em comum, o motivo desses três Países é a revolta com o aumento da pobreza e o aumento do preço de produtos que são considerados básicos para se viver.

O Chile, inicialmente, tem como motivo o aumento do preço das passagens de metrô, o Equador, o aumento do preço do combustível e a Argentina a pobreza que se dissemina pelo país e até um pedido de lei para que haja assistência alimentícia.

A população clama por mudanças! É querer muito ver o governo que pediu o voto da população a confiança, algo tão valioso para te representar, honrar o que prometeu? Se há erros, que eles sejam assumidos, os culpados sejam penalizados, continuemos buscando o acerto, melhorar a qualidade de vida, a economia, a saúde, educação e política de um país.

Mas me preocupo com algo, o cidadão se contentar com soluções imediatas e sem estudo, uma solução que seja apenas para acalmar os ânimos, ao votar, muitos eleitores escolhem o candidato que apresenta a solução mais rápida, que esteja na ponta da língua, sem apresentar variáveis, pesquisas, e o eleitor, sem querer/aceitar ouvir que levará tempo para se conseguir o almejado. Não aceitar a realidade, por mais dura que seja é pior.

O mesmo pode acontecer com os protestos, um sistema hierárquico populista não pode preponderar sobre a democracia, quanto mais participação popular, melhor, e isso não envolve somente um eleitor, envolve a imprensa, a oposição, os sindicatos e ong’s instituições capazes de defender a opinião e o interesse da sociedade.

Há muitos pontos positivos na democracia, como problemas também, citando o trecho do autor Yascha Mouk em seu livro “O povo contra a democracia” ele afirma algo que corrobora com minha linha de pensamento, “ Se as soluções para os problemas do mundo são tão obvias quanto os candidatos dizem, as elites políticas devem estar deixando de implementá-las, ou porque são corruptas ou estão trabalhando secretamente em prol de interesses externos.”

Vamos lá, para lançar a primeira dúvida no ar, o Brasil também sofreu aumento no combustível recentemente conforme noticiado no jornal folha de São Paulo (link da notícia ao final) por que somos o único país a não protestar nesse momento em que nossos vizinhos estão? O protesto coletivo de um continente poderia gerar mais resultados, a meu ver, o que acham?

Seriam os primeiros indícios que estamos sendo governados por um presidente populista?

Cito outro ponto relevante do livro o povo contra a democracia “ os populistas percebem como instituições intermediárias com direito legítimo de representar as opiniões e os interesses de amplos segmentos da sociedade são perigosas para a ficção de que eles, e apenas eles, são o porta-voz exclusivo do povo.”

Temos fortes sinais de que isso está acontecendo, o primeiro deles é o corte considerável a entidades de defesa do meio ambiente, em Abril, Ricardo Salles nomeado por Bolsonaro para ser Ministro do Meio Ambiente mandou cortar em 24% o orçamento anual previsto para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o Ibama e do Instituto Chico Mendes responsável por fiscalizar as unidades de conservação florestal do País (link da notícia ao final).

O segundo são as demasiadas críticas à imprensa, um dado importante que colhi do site www.aosfato.org é o de que “O presidente Jair Bolsonaro fez ao menos 162 críticas ao trabalho de jornalistas e veículos de comunicação desde que assumiu o cargo, em 1º de janeiro, até o dia 11 de outubro – média superior a um comentário a cada dois dias. No mesmo período, foram apenas 18 menções elogiosas ou em que defendeu a liberdade de imprensa.”

Destaco, o presidente aumentou a frequência das críticas em momentos de crise em seu governo. O número de comentários negativos chegou ao ápice em agosto – foram 46 naquele mês –, auge da comoção internacional sobre as queimadas na Amazônia”.

O que estou fazendo não é atacar diretamente o presidente por não ter dado meu voto a ele, quero mostrar que suas ações demonstram que ele é um populista, ou pelo menos que está governando como um e muitas vezes o populismo anula a democracia.

Como mudar essa realidade que vem tomando espaço aos poucos? Sou uma defensora dos protestos, a população não pode aceitar tudo calada, nossa constituição federal defende o direito a liberdade de expressão e direito de reunião, logo, protestar é um ato legítimo e todo cidadão tem.

E aos eleitores do Bolsonaro, não procurem querer ver somente o que ele faz de bom, ou planeja fazer, quando acompanhado discussões entre eleitores do atual presidente e de eleitores que são contra ele, não vejo em pauta as melhorias, vejo que o argumento maior é o que os governos passados fizeram de errado, vamos passar 4 anos assim?

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/09/petrobras-anuncia-aumentos-nos-precos-da-gasolinaedo-diesel.shtml

https://www.redebrasilatual.com.br/mundo/2019/10/crise-equador-lenin-moreno-divisor-al/

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2019/04/26/ministro-ricardo-salles-corta-24-do-orcamento-do-ibama.htm

https://aosfatos.org/noticias/bolsonaro-fez-162-criticas-imprensa-desde-janeiro-globoefolha-são-principais-alvos/

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O Ministro Barroso tem um artigo na Conjur em que discorre sobre os 30 anos da constituição, onde faz uma autópsia precisa sobre a crise de representatividade, propondo soluções através de uma reforma política.

Essa crise de representatividade, aliada a uma população de baixíssimo nível intelectual, absolutamente descolados da realidade e imersos em suas bolhas forjados por pre-conceitos, levaram ao poder um governante populista que disse o suficiente para ser aclamado (sou contra tudo o que esta ai)! E o que está ai? Inventam-se inimigos imaginários, tais como as bruxas da idade média, a população acreditou que os problemas do país estavam adstritos a um único partido político, aos programas sociais, a quem clama por justiça social, a quem defende direitos humanos.

Aqui em Joinville/SC, cidade que votou massivamente no atual presidente, no final do mês tem as suas ruas vazias.... a população não consegue, mais, sequer utilizar o carro o mês todo, apelando para o transporte público ao final do mês.

Eles aguentam calados pois ainda acreditam que toda a crise se deve ao Partido dos Trabalhadores. Ignoram os malefícios da reforma trabalhista. Nem imaginam os malefícios da reforma da previdência. Ignoram que a corrupção é uma prática nefasta de todos os partidos e que a nossa miséria atual foi gerada pela união de corruptos para destituir um partido que também era corrupto.

Estamos vivendo um processo autofágico no Poder, onde a semelhança de uma guerra entre facções, a que assume o poder é a mais violenta, pois soube catalizar os métodos mais antirrepublicanos para usurpar o poder.

Antes tínhamos no Governo federal um partido que compactuava com um modelo de corrupção (crimes do colarinho branco) e este governo foi substituído por outro que além de incorrer nos mesmos crimes, possui claro e notório envolvimento com as milicias violentas e assassinas do RJ.

Não vejo ainda a população brasileira com o nível de percepção suficiente para sair as ruas. continuar lendo

"E aos eleitores do Bolsonaro, não procurem querer ver somente o que ele faz de bom, ou planeja fazer, quando acompanhado discussões entre eleitores do atual presidente e de eleitores que são contra ele"

Eleitores do Lula e Dilma vejam todos os desastres gerados pelos populistas vermelhos.

Petrobras, Eletrobrás, Fundos de Pensão, Pedaladas fiscais, Refinaria Abreu e Lima e tantos outros desastres nunca antes vistos na História da Humanidade. continuar lendo